Quais as causas do colonialismo?

A ambição do lucro e a ânsia de aventuras, empurraram os europeus a colonizar o mundo inexplorado. O ouro, a prata e as pedras peciosas exerciam uma poderosa e irresistível atração sobre os homens e as nações.

Na América, os espanhóis exploraram com grandes vantagens as minas de prata. O que isso representou para a Espanha foi semelhante ao que significou para Portugal a exploração das ilhas das especiarias, enquanto estavam dominando a Indonésia. As companhias das Indias Orientais que monopolizaram o comércio com a Ásia Oriental atuaram como empresas comerciais e colonizadoras, abastecendo a Europa de especiarias, tecidos, porcelanas etc. Do Novo Mundo trouxeram os europeus, tabaco, cacau, milho e batatas, levando para lá cana-de-açúcar e algodão, que se converteram em duas culturas que muito prosperaram. A mão de obra para as minas e plantações, recrutou-se entre a população indígena, ainda que se tenha recorrido também ao tráfico de escravos. O transporte de escravos constituio o chamado (comércio triangular), que propiciava alta renumeração, entre a Europa, África e América.

Para a costa dos escravos, na África Ocidental levavam-se sobretudo quinquilharias e álcool, que se trocavam por escravos que eram depois transportados para a América. Aí vendia-se a mercadoria humana, enquanto os barcos, antes de regressarem à Europa, eram carregados com produtos do Novo Mundo, sobretudo açúcar, algodão etc.

Com a industrialização da Europa, os impérios coloniais aumentaram o seu poder. A Europa trazia as matérias-primas para a indústria e vendia às colónias o excedente, iniciando-se assim o desenvolvimento das mesmas, ainda que a sua economia, em função das necessidades da metrópole e não próprias, tomàsse uma direção única com o consequente prejuizo para a própria colónia. Parte do excedente demográfico europeu emigrou para as colónias onde se constituiu como classe senhorial, que procuravam um refúgio contra a opressão religiosa e política ou esperavam encontrar terras baratas e boas condições de trabalho. A  corrente emigratória do século XIX dirigiu-se para a América do Norte em busca de novas oportunidades.

Também as missões cristãs contituíram uma força motriz da colonização. Os missionários atuaram com grande acerto e perseverança como pregadores, professores e médicos entra as populações indígenas.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *